Google+ Followers

segunda-feira, 6 de março de 2017

Cadê os "Anonymous" ??

Que saudade dos anos 80! Quando queríamos declarar guerra, em nossa revolta juvenil contra a sociedade e o governo opressor, nos agrupávamos em bandas de rock (punk rock, heavy metal, etc) e, nas garagens, vociferávamos nosso descontentamento contra tudo e contra todos que merecessem ouvir nosso grito. O nosso vandalismo se restringia a um “vandalismo sonoro” – e saiba você que as pessoas morriam de medo e paravam para ouvir nossas reivindicações! Hoje está tudo mudado... Os vândalos atuais se camuflam em meio às passeatas como joio no meio do trigo; são realmente vândalos ao pé da letra, que só prestam para destruir o patrimônio alheio, seja municipal, seja de pessoas que não têm nada a ver com a corrupção dos governos. Os vândalos atuais são jovens tristes, filhos de papai em sua maioria, muitos são moradores de bairros nobres (como o próprio Leblon) e não passam pelas mesmas restrições como a maioria do povo. Eu, quando jovem, “vandalizei” com arte, “destruí vitrines” com solos de guitarra, “quebrei bancas de jornal” com músicas e com letras inteligentes, enfim, gritei o meu descontentamento com as minhas próprias “armas”, sem precisar deixar ninguém triste ou ferido por isso. Esses “Anonymous” (e esses outros descerebrados que picham e quebram placas de sinalização) certamente não representam a minha geração, pois trocaram a arte pela imbecilidade crua e boçalidade desmedida contra o bem estar da própria população – enquanto isso o Eduardo, o Cabral e a Dilma continuam no firme propósito de sacanear o povo do Rio e do Brasil, roubando e pilhando o que pertence a nós. Anonymous, saia das trevas, emerja do esgoto, mostre o seu rosto e vire gente! Promovam passeatas, cantem “Que país é este?”, fechem as ruas, mas não destruam o patrimônio de quem não é causador do seu ódio!

A cidade agradece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por sua opinião. Deus te abençoe.
banda Primeva